PORQUE: Explicativo ou Causal???

January 14, 2018

 

Tivemos um atendimento exclusivo, porque fomos os primeiros a chegar!

Eles devem atender muito bem o cliente, porque quase todos voltam ao restaurante.

 

                Embora fisicamente as sentenças possam ser parecidas, a relação semântica estabelecida pela conjunção é diferente. Quer saber como diferenciá-las? Continue lendo este artigo até o final e fique ainda mais preparado para a sua próxima Prova de Português!

 

 

 

                Explicativo ou Causal?

 

               

                Vamos, primeiro, entender que uma relação de Causa e Consequência é sempre recíproca: um fato só pode ser chamado de “causa” a partir do momento em que ele gera uma consequência. Já uma “consequência” só existe se estiver associada a uma causa. Primeiro a causa, depois a consequência... antes-depois. Um fato isolado é só um fato.

               

                A explicação não possui uma relação semântica assim tão intrínseca. Posso dar-lhe uma ordem sem explicar o motivo, ou mesmo mostrar-lhe uma constatação sem explicar como cheguei até ela.

 

                Se eu afirmo que estou sonolento pelo fato de ter trabalhado muito na noite anterior, posso dizer que um fato gerou o outro: causa e consequência.

                Se eu constatei que aquele rapaz deve trabalhar de madrugada, pois está sempre sonolento durante o dia, não posso dizer que “estar sonolento” é a causa de “trabalhar de madrugada”.

 

                Portanto:

 

                (A) Eu fiquei sonolento, porque trabalhei muito na noite anterior. – O fato de eu ter trabalhado muito gerou uma consequência: eu fiquei sonolento. Se gerou consequência, posso dizer que é uma causa.

                (B) Aquele rapaz deve trabalhar de madrugada, porque está sempre sonolento durante o dia. – Ele trabalhar de madrugada não é uma consequência de ele estar sempre sonolento, mas apenas uma constatação. A oração iniciada pela conjunção apenas explica o porquê de ter-se chegado a tal constatação.

 

                Sendo assim, a conjunção na sentença A estabelece valor causal; na sentença B, explicativo.

 

 

 

ATENÇÃO: Quando analisamos o valor semântico da conjunção, vemos sempre qual a relação estabelecida pela oração iniciada pela conjunção em relação à outra. Portanto, gramaticalmente, as sentenças B e C abaixo são diferentes!

 

“aquele rapaz deve trabalhar de madrugada, porque está sempre sonolento durante o dia”(B)      “ele está sempre sonolento durante o dia porque trabalha de madrugada”(C)

 

                Em C, a oração iniciada pela conjunção, “[porque] trabalha de madrugada”, é a causa de ele estar sempre sonolento, portanto a conjunção “porque” estabelece relação causal. Já em B, a oração iniciada pela conjunção, “[porque] está sempre sonolento”, não é, como vimos, a causa da anterior, sendo apenas uma explicação de como cheguei a tal constatação.

                Ao analisarmos conjunções, “a ordem dos fatores pode alterar o produto”!

 

 

 

                Que tal se você vir, agora, as duas sentenças do início do post, analisando em qual delas a conjunção é explicativa e em qual é causal?

               

Tivemos um atendimento exclusivo, porque fomos os primeiros a chegar! (D)

Eles devem atender muito bem o cliente, porque quase todos voltam ao restaurante. (E)

 

                Em D, termos sido os primeiros a chegar gerou uma consequência (tivemos um atendimento exclusivo), portanto a conjunção é causal.

                Em E, o fato de quase todos voltarem ao restaurante não gerou consequência (afinal, a possibilidade de eles atenderem bem o cliente não é uma consequência do retorno. Se a  oração estivesse escrita de outro modo, até poderia ser uma causa, mas nunca uma consequência. De qualquer modo, ela não está escrita de outro modo, ela está escrita assim... é assim, então, que iremos analisá-la.) Como a conjunção não indica uma causa, ela exerce valor explicativo.

 

               

RESUMINDO: Se a oração iniciada pela conjunção indicar a causa da oração anterior (ou se a oração principal for a consequência da subordinada), a conjunção é causal. Caso contrário, é uma explicativa.

 

 

                A conjunção explicativa vai aparecer, então, em duas situações:

 

1 – Quando a primeira oração for uma constatação de um fato:

a) Eles devem atender muito bem o cliente, porque quase todos voltam ao restaurante.

b) Vejo que se esforço bastante, porque houve muitos elogios ao seu trabalho.

c) Deve haver alguma promoção muito boa no mercado, porque os caixas estão lotados!

 

2 – Quando a primeira oração for uma ordem ou um pedido (o que não é exatamente uma consequência da oração preposicionada subsequente):

a) Vá devagar, porque o caminho é perigoso.

b) Estude bastante, porque a prova está chegando.

c) Parem de brigar, porque essa discussão não vai levar a lugar algum!

 

 

EM TEMPO:

1 – A mesma diferença ocorre com as conjunções “pois”, “já que”, “uma vez que” e outras de valor semântico equivalente.

2 – Quando explicativa, a relação é de coordenação, sendo a vírgula obrigatória. Quando causal, a relação é de subordinação, sendo a vírgula opcional. Mas isso é assunto para outro artigo...

 

 

            Espero ter deixado claro! Continue sempre por aqui! Ah, e estou esperando por você no Youtube, no Instagram, no Face... se você está comigo, não aceito menos do que ver você gabaritar a sua próxima Prova de Português!

 

 

            Grande abraço e bons estudos!

 

 

           Caco Penna

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

PORQUE: Explicativo ou Causal???

January 14, 2018

1/2
Please reload

Posts Recentes

February 12, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags